• Dra Tânia Cavalho

Você sabe como proteger as crianças do sol?


Os benefícios da exposição ao sol são inúmeros: Produção de vitamina D, controle do ritmo circadiano, produção de Beta-endorfinas… Mas ele também é responsável por vários efeitos indesejados: Câncer de pele, envelhecimento precoce, manchas na pele.

Apesar do Câncer de pele ser raro na infância, é nessa fase da vida que se acumula uma grande quantidade de radiação que pode provocar o surgimento do câncer na idade adulta. A exposição solar é mais intensa nos primeiros 18 anos de vida e por isso é responsável por 50 a 80% dos danos à saúde provocados pela radiação Ultra Violeta.

Devemos ter em mente que “o sol da praia é o mesmo do jardim e de todos os dias…” e por isso temos que usar medidas de fotoproteção durante todo o ano, e não apenas no período das férias.

As medidas de proteção solar são divididas em 3 grupos:

1 - Medidas comportamentais:

  • Exposição no horario do “sol amigo”: antes das 10:00 ou depois das 16:00

  • Regra da sombra: quanto maior a sombra, mais seguro é o horário de exposição

  • Uso de roupas e chapéus com proteção UV. As roupas de maneira geral possuem fator de proteção natural entre 2 e 12 FPS. O Nylon, a seda e o poliéster protegem mais que o algodão e o linho (quanto menor o espaço entre as fibras do tecido, maior a proteção)

  • Roupas escuras protegem mais que roupas claras

  • Roupas especiais oferecem proteção de pelo menos 50FPS

  • Lembrar que a radiação reflete na superfície e volta para as crianças. A neve reflete mais que a areia que reflete mais que a água que reflete mais que a grama. Por isso queimamos mesmo na sombra.

  • Uso diário de filtro solar com Fator de Proteção de no mínimo 30.

2- Filtros Físicos (inorgânicos ou de barreira):

Formam uma barreira que reflete os raios UV e também absorvem e transformam a radiação para um tipo menos danoso para a pele. As principais substâncias que compõem esses produtos são o dióxido de titânio e o óxido de zinco. Começam a agir imediatamente após a aplicação.

São os recomendados para crianças de 6 meses a 2 anos de idade.

A desvantagem é que são mais espessos e difíceis de espalhar.

3- Filtros Químicos (orgânicos):

Absorvem e transformam a radiação em calor ou luz, que são eliminados pela pele. Precisam de cerca de 20 minutos para que comecem a agir de maneira efetiva.

São recomendados para crianças a partir de 2 anos e para adultos. Para uso infantil, não devem conter PABA, pelo alto potencial de provocar alergia (no Brasil, nenhum produto regulamentado pela ANVISA para uso infantil possui PABA).

Resumindo...

  • Crianças menores de 6 meses: não devem usar filtro solar. Evitar exposição direta ao sol, ficar na sombra e com roupas com proteção UV.

  • Crianças entre 6 meses e 2 anos: Filtros Físicos - tipo Baby ou Mineral

  • Maiores de 2 anos: Filtro Químico - Infantil ou Kids

Não basta apenas passar o filtro solar, alguns cuidados devem ser tomados para que o protetor possa agir da forma correta. Se temos cuidado para tomar algum remédio na dose certa, por quê não fazer o mesmo com o Protetor Solar?

  • Aplicar 20 minutos antes da exposição e reaplicar a cada 2 horas, se sudorese intensa ou se contato com a água.

  • Aplicar generosamente, seguindo a regra da colher de chá ou dos dois dedos: uma colher de chá corresponde à quantidade de filtro suficiente para cobrir o segundo e o terceiro dedos de um adulto.

Fonte: Guia de fotoproteção na criança e adolescente - Sociedade Brasileira de Pediatria

#proteçãosolar #sol

34 visualizações

Telefones de contato:

       Mirim Consultório Pediátrico

(031) 2510-2011

(031) 97111-1767

  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon