• André Botinha

Para viajar com as crianças em segurança no feriado!


Acidentes de trânsito são uma das principais causas de ferimentos e incapacidades adquiridas em todo o mundo.

Na estimativa do Ministério da Saúde, nove em cada dez acidentes fatais poderiam ter sido evitadas com o uso de equipamentos de segurança adequados: a cadeirinha ou o cinto de segurança.

#1. ACOMODAÇÃO ESPECIAL

Para garantir o transporte seguro de crianças, o ideal é usar os chamados assentos infantis, também conhecidos como dispositivos de retenção para crianças.

Eles são desenvolvidos especialmente para pequenos usuários e, quando utilizados corretamente, garantem proteção adequada e eficiente.

#2. COMO ESCOLHER O DISPOSITIVO DE SEGURANÇA

Compreender para que serve o dispositivo de segurança não é difícil, o maior problema costuma ser a escolha do melhor equipamento de segurança para proteger a criança.

Veja aqui qual é o tipo de cadeirinha mais indicado para cada faixa etária, de peso e altura da criança.

#3. ATENÇÃO

Os cintos de segurança dos automóveis foram projetados para adultos. Enquanto a criança não puder ser por ele contida de maneira apropriada, um assento de segurança deverá ser utilizado.

As crianças e os adolescentes geralmente não se adaptam ao cinto de segurança do veículo até atingir a estatura mínima de 1,45 m, aproximadamente aos 10 anos de idade.

O cinto de segurança estará adequado quando a faixa transversal passar sobre o ombro e diagonalmente pelo tórax, e a faixa abdominal ficar apoiada nas saliências ósseas do quadril ou sobre a porção superior das coxas.

O sinto não pode passar pelo pescoço ou em cima da barriga.

Deve ficar sobre o ombro e o quadril

#4. COMO E ONDE INSTALAR OS DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO

Os dispositivos de retenção para crianças devem ser instalados sobre os bancos e retidos através dos cintos de segurança originais do veículo.

O bom funcionamento desses equipamentos depende do modo como eles são instalados e utilizados. Por isso é preciso muita atenção. É comum que se tenha dificuldade nas primeiras vezes que se instala um dispositivo de retenção, mas ter paciência e ler o manual de instruções do equipamento ajuda bastante.

Os assentos infantis instalados voltados para a traseira do veículo são os que apresentam o maior índice de instalação incorreta, exatamente por serem os de acomodação mais complexa.

Nunca é demais lembrar: a segurança e até a própria vida da criança que estará usando o dispositivo dependem da instalação correta do equipamento.

#5. O BANCO OCUPADO PELA CRIANÇA E O RISCO

A posição ocupada pela criança no banco do veículo pode interferir no risco de ferimentos sofridos em acidentes.

Estudos demonstram que os pequenos passageiros transportados no banco traseiro do automóvel têm risco menor de sofrer ferimentos em comparação com aqueles transportados

no banco dianteiro.

A segurança é muito maior quando as crianças estão utilizando os dispositivos

de retenção. Quanto menor a idade maior a proteção e as chances de sobrevivência.

Crianças “soltas” no banco traseiro apresentam ainda risco de serem jogadas para a frente e de atingir os ocupantes dos bancos dianteiros.

Dependendo da intensidade da desaceleração do automóvel, as crianças podem, inclusive, ser lançadas contra o pára-brisa e, caso ele se quebre, ser arremessadas para fora do veículo.

#6. O LUGAR IDEAL

O lugar mais seguro para transportar uma criança é no assento central do banco traseiro, desde que ele tenha cinto de três pontos (por causa do risco de choques laterais).

A probabilidade de haver colisão lateral é de 31%, portanto o centro do banco traseiro é o melhor local para se acomodar a criança. Exceto se o cinto de segurança do centro do banco for apenas abdominal (apenas com uma faixa simples).

As posições laterais deverão ser utilizadas somente quando não se obtém fixação segura da cadeirinha na posição central do banco. Ou seja: quando a posição central não tem cinto de três pontos.

#7. FALHAS MAIS FREQÜENTES NO TRANSPORTE DE CRIANÇAS EM VEÍCULOS

- As falhas mais freqüentes referem-se a crianças transportadas no banco da frente e/ou ao uso inapropriado dos dispositivos de segurança;

- Alguns pais permitem que as crianças viagem no porta-malas, o que é perigoso;

- Crianças com idade inferior a 1 ano transportadas em cadeirinhas instaladas

e frente para o painel do veículo;

- Sentadas no banco traseiro sem dispositivos de segurança;

- Transportadas presas apenas pelo cinto de segurança do veículo sem que tenham atingido altura suficiente para utilizá-lo;

- Em pé no assoalho ou nos bancos, independentemente da localização do assento.

#8. É PRECISO SABER DIZER NÃO

Fazer uma criança usar o dispositivo de retenção não costuma ser uma tarefa

fácil. Muitas vezes os pequenos usuários oferecem resistência para se sentar no equipamento, colocar os cintos e permanecer com eles ajustados, querendo “se livrar” das faixas durante a viagem.

Pais e responsáveis não podem ceder às vontades infantis. É preciso saber dizer

“não”. O objetivo é ensinar à criança os motivos pelos quais ela precisa usar o dispositivo de segurança e que não é permitido “passear” de carro de outra forma.

Em nenhuma hipótese, pressa, esquecimento, indisposição, superlotação, falta do equipamento, percursos reduzidos etc., justificam estabelecer exceção.

Tomando os devidos cuidados de segurança, estamos prontos para curtir o feriado! Um bom feriado pra todo mundo!

Fontes:

1. Segurança no transporte veicular de crianças - DENATRAN

2. ONG Criança Segura Brasil


59 visualizações

Telefones de contato:

       Mirim Consultório Pediátrico

(031) 2510-2011

(031) 97111-1767

  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon