• André Botinha

Socorro! Meu filho adoece muito!!


Ah, é uma virose!

O quê?!

Quem nunca ouviu que o filho está com uma virose?

E quantas viroses uma criança pode ter em um ano? Existe alguma previsão?

Muitas vezes, utilizamos termos abrangentes para definir um grupo de sinais e sintomas que a criança está apresentando.

É o que acontece quando falamos de infecções de vias aéreas superiores, por exemplo.

Na maioria das vezes, estaremos nos referindo à nasofaringite aguda, mais popularmente conhecida como resfriado comum!

#1. Causas:

Várias famílias de vírus podem causar os sinais e sintomas da doença mais comum da nossa espécie (o resfriado)!

A principal delas é a dos rinovírus (do grego “rhinus”, que significa “nariz”).

Rinoceronte: rhinus + kéras = nariz de chifre

Para se dar um exemplo, só da família dos rinovírus existem mais de 100 tipos de vírus diferentes que podem causar o resfriado comum!

E além dessa família, outras como vírus sincicial respiratório, metapneumovírus, adenovírus, bocavírus, coronavírus, influenza, parainfluenza...também podem causar a doença!

Daí, já se tem uma idéia de quantas vezes podemos ficar resfriados na vida...

Calcula-se que, só nos Estados Unidos, 25.000.000 de atendimentos médicos sejam realizados devido a essa doença todos os anos.

#2. E quantos dias meu filho ficará doente?

Estudos comparativos mostram que os sintomas são mais duradouros na criança:

Enquanto 20% dos adultos ainda queixam-se de sintomas no 10º dia de doença, 73% das crianças mantem-se sintomáticas mesmo 10 dias após adoecerem.

#3. Como se pega o resfriado?

A transmissão da doença acontece principalmente por contato.

O rinovírus, o principal agente do resfriado comum (como dissemos acima!), está presente em grande quantidade na secreção nasal.

Quem está resfriado acaba por encostar com frequência nessa secreção contaminada, não é verdade?

O rinovírus fica viável na pele por até duas horas e por até um dia em superfícies.

Uma vez tendo sido passado para alguém, basta que essa pessoa leve a mão ao olho ou ao nariz para permitir que o vírus ganhe acesso ao organismo!

E os espirros e a tosse?

O aerossol, criado através da tosse e do espirro, é uma maneira precária de transmissão do rinovírus.

Mas, outras famílias virais, como influenza e coronavírus, podem ser transmitidos de maneira eficaz por partículas dispersas no ar.

E o ar condicionado, pode causar resfriado?

O ar condicionado pode causar sintomas nasais, mas para se resfriar é preciso entrar em contato com o vírus!

De qualquer maneira, o fato de que em ambientes com refrigeração as pessoas tendam a ficar mais próximas e agrupadas acrescida à menor circulação do ar pode contribuir para facilitar a transmissão do vírus.

#4. Por quanto tempo uma pessoa doente transmite o vírus adiante?

Geralmente, o pico de transmissão coincide com o pico dos sintomas (como vamos falar mais adiante no tópico #7) que é no terceiro dia de adoecimento, em média.

Após o quinto dia de doença, a quantidade de vírus no doente já é baixa porque os títulos de anticorpos aumentam progressivamente e já conseguiram neutralizar a maior parte deles.

Então, a chance de transmissão é pequena a partir dessa fase.

#5. Assim que entro em contato com o vírus, eu adoeço?

Acontece o que chamamos de período de incubação, que é o tempo entre o contato com o vírus e o início dos primeiros sintomas.

No resfriado, geralmente, o período de incubação dura de 24 a 72 horas.

#6. Socorro! Meu filho adoece muito!

Quantas vezes se espera que uma criança possa ter resfriado em um ano?

Estudos estimam que uma criança menor de 6 anos tenha em, média, de 6 a 8 episódios de resfriado comum por ano!

Estatísticas (menos otimistas) chegam a afirmar que, no primeiro ano de escola, a criança possa adoecer até 12 vezes!

E quanto tempo duram os sintomas?

Em crianças nessa faixa etária (menores de 6 anos), os sintomas duram, em média, de 10 a 14 dias!

Fazendo as contas veremos: é possível que no primeiro ano de escola uma criança adoeça 12 vezes e que cada vez dure, em média, 14 dias (12 x 14 = 168 dias doente!).

Se descontarmos as férias de julho, dezembro e janeiro (que totalizam cerca de 70 dias) e os feriados (que correspondem a cerca de 20 dias) veremos que dos 275 dias restantes do ano a criança esteve doente em 168!

Isso significa 60% do ano letivo!

Alguém já passou por isso?

#7. E quais são os sintomas do resfriado?

Os sintomas vão depender da idade da criança, de suas condições de saúde e do tipo de vírus que causou o resfriado.

Em geral, nos bebês e em crianças menores (pré-escolares) os sintomas mais comuns são febre e coriza (nariz escorrendo).

Os sintomas respiratórios atingem seu máximo com 3 dias, em média.

Na criança maior, a partir dos seis anos, a obstrução nasal (nariz entupido), a coriza e a tosse passam a ser os sintomas mais frequentes.

A febre passa a ocorrer na minoria dos casos.

Outros sintomas como, por exemplo, espirros, dor de cabeça, dor de garganta, conjuntivite, irritabilidade, dificuldade para alimentar, redução do apetite e dificuldade para dormir podem fazer parte do quadro.

A secreção do nariz ficou verde! Ele está piorando?!

Não necessariamente! É frequente que a secreção do nariz, inicialmente transparente e flúida, passe a ficar mais espessa e mude de coloração ao longo do adoecimento.

Isso nem sempre significa a presença de bactéria.

As próprias células de defesa, que são atraídas para o local da infecção para combatê-la, se misturam à secreção nasal e mudam seu aspecto.

#8. Como saber se meu filho tem resfriado: é preciso algum exame?

Para o diagnóstico, na maioria das vezes, o exame clínico do médico, com uma história detalhada e o exame físico da criança, será suficiente.

Exames laboratoriais e de imagem poderão ser necessários se houver a suspeita de complicações ou de outro diagnóstico.

#9. O que eu faço para tratar o vírus? Quais os remédios são necessários?

Na maioria das vezes, o resfriado comum será uma doença leve e auto-limitada.

Isso significa que o próprio organismo será capaz que combater o vírus e curar a doença.

Orientação para quem cuida da criança e medidas de suporte são a base do tratamento.

Essas medidas incluem, por exemplo, beber bastante líquido e lavar a cavidade nasal com solução fisiológica para aliviar os sintomas.

E os remédios contra resfriado? Qual usar?

Medicamentos contra a tosse e os sintomas nasais não tem benefício comprovado na literatura e alguns podem causar sérios efeitos adversos.

Não se deve utilizar medicações sem prescrição médica.

O mel de nossas avós pode mesmo ajudar?

Alguns estudos mostram uma modesta ajuda do mel na melhora da tosse.

Mas é sempre importante lembrar que o consumo de mel em crianças menores de um ano é contra-indicado pelo risco de contaminação pela bactéria Clostridium botulinum, que pode causar uma intoxicação grave.

#10. O que posso fazer para prevenir o adoecimento?

Bom, apesar de utilizarmos os nomes gripe e resfriado como sinônimos, na verdade, são doenças diferentes!

Mas, as medidas para evitar a transmissão de ambas são bastante parecidas. Então, vou me utilizar de um vídeo do Ministério da Saúde para resumir as medidas de prevenção, ok?

Fontes:

1. UpToDate: The commom cold in children

2. Cotton MF, Innes S,. Management of upper respiratory tract infections in children. SA Fam Pract 2008; Vol 50 No 2

3. Ellen R. Wald, Kimberly E. Applegate. Clinical Practice Guideline for the Diagnosis and Management of Acute Bacterial Sinusitis in Children Aged 1 to 18 Years. American Academy of Pediatrics. June 2013

4. Ministério da Saúde

#criançadoente #resfriado

4,952 visualizações

Telefones de contato:

       Mirim Consultório Pediátrico

(031) 2510-2011

(031) 97111-1767

  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon